Mês da criança começa com ação social inédita para deficientes e seus familiares

Encabeçada pelo “Vamos Fazer Juntos” e a CUFA Pedreira, bairro da Zona Sul paulistana, iniciativa tem o apoio do setor de serviços, um dos mais afetados pela crise econômica

São Paulo, 2 de outubro de 2020 – Neste sábado (3), a partir das 8h00, na Arena Vicente Cordeiro – Estrada do Retiro, 1.000 – Jardim Santa Terezinha – Pedreira, a ação social “Abrace uma Criança” vai incrementar a tradicional distribuição de brinquedos de outubro com a entrega de cestas básicas, kits de higiene, limpeza e cartelas de ovos, destinadas a famílias carentes da região que tenham em casa ao menos uma criança portadora de deficiência.

De acordo com Lilia Oliveira, uma das mentoras do grupo “Vamos Fazer Juntos”, o evento se difere dos anteriores por estar contando com o apoio da Central Brasileira do Setor de Serviços (CEBRASSSE) e algumas de suas associadas, caso dos sindicatos e associações das áreas de fomento comercial (SINFAC-SP) e controle de pragas urbanas (SINDPRAG e APRAG).

É que além de tudo que acontecerá neste sábado, já está acertada a continuidade da mobilização, por meio de cursos profissionalizantes gratuitos, voltados aos muitos moradores da região que também sofrem com o desemprego. “A Faculdade Facop encampou a proposta da CEBRASSE de estender este mutirão para o campo da inserção no mercado de trabalho, e entrará nesta etapa educativa da campanha, tanto aqui em São Paulo quanto no Paraná, onde a atividade de amanhã ocorrerá simultaneamente”, explica a voluntária.

“São muito importantes, nesse momento pelo qual passamos, os gestos de solidariedade voltados aos que mais necessitam, assim como a mobilização da sociedade civil organizada, que inclui a classe empresarial, ao se preocupar com políticas capazes de dar um passo além para amenizar as desigualdades sociais existentes, abrindo oportunidade de emprego a quem está em posição de vulnerabilidade ou não têm base de qualificação”, acrescenta o presidente da Central, João Batista Diniz, ao justificar a ideia de ampliar o alcance da campanha.

Diante do impulso percebido, ao contar pela primeira vez com a ajuda do associativismo empresarial, Lilia não tem dúvida ao dizer que novas entidades serão convidadas a participar. “Noventa por cento das necessidades levantadas pela Central Única das Favelas (CUFA) junto aos moradores de Pedreira e região já foram atendidas, mas muitas outras, como a própria reciclagem profissional, certamente ainda requerem muita atenção”, reconhece.

Texto:  Wagner Fonseca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.